Curta a nossa pagina no facebook !!!






segunda-feira, 31 de outubro de 2016





Pesquisa de vendas da Abracorp aponta recuo de 11,9%

 
Rubens Schwartzmann, presidente da Abracorp e Chieko Aoki, presidente da rede Blue Tree Hotels 
Divulgação
A Diretoria Executiva da ABRACORP divulgou no último dia 27, no Blue Tree Hotel Morumbi, os resultados de vendas referentes ao 3º trimestre de 2016. Seguindo, exatamente, o que aconteceu nos primeiros 2 trimestres do ano, o 3º. Trimestre mostrou uma retração do volume total de vendas em 11,9%, comparando-se com igual período de 2015.
Em números absolutos, os R$ 3.106.321.911 do ano passado caíram para R$ 2.736.456.259. No acumulado dos três trimestres, os R$ 8.812.461.521 contabilizados em 2015 recuaram para R$ 7.787.799.381 em 2016, o que representa variação negativa de 11,6%. 

Segmento Aéreo Nacional
O segmento aéreo doméstico apresentou uma redução de 12,6% nas vendas e de 9,3% nos bilhetes emitidos. Como reflexo, tivemos uma tarifa média de R$ 620,00, uma variação de -3,6% em relação a 2015. A Avianca registrou variação negativa de 13% no 3º trimestre (de 233.368 para 203.133), na comparação com o mesmo período de 2015. Em faturamento, a oscilação foi de -23,8% (de R$ 123.583.341 para R$ 94.112.864). A Azul recuou 6,6% em bilhetes emitidos (de 464.716 para 434.258) e, no faturamento, cresceu 0,8% (de R$ 309.675.078 para R$ 312.077.327).
A Gol apresentou queda de 8.4% em R$ bilhetes emitidos (de 603.509 para 552.531) e, em faturamento, redução foi de 11% (de R$ 351.979.135 para R$ 313.424.260). A emissão de bilhetes da TAM decresceu 11,5% (de 604.781 para 535.278), enquanto o faturamento passou de R$ 400.178.415 para 315.305.850 – variação negativa de 21,2%. O agrupamento das ‘demais’ cresceu 0,4% em bilhetes emitidos e decresceu 7,3% em faturamento.

Na participação do mercado, em bilhetes emitidos, a Gol liderou com 31%, seguida pela TAM (30%); Azul (25%); Azul (12%) e ‘demais’ (2%). Em vendas, empate tríplice entre Azul, Gol e TAM (30% cada). A Avianca ficou com 9% e as ‘demais’ com 1%.

Segmento Aéreo Internacional
No segmento aéreo internacional, a redução foi menor, apontando variação negativa de 7,9% em vendas e 6,2% em bilhetes emitidos. Nos bilhetes emitidos, a TAM cresceu 5% (de 37.178 para 39.042). Também registraram variação positiva a TAP (17,4% ou de 9.963 para 11.346) e a Copa (14% ou de 10.524 para 11.995). Já a American (-7,5% ou de 26.562 para 24.564); a United (-0,5% ou de 12.348 para 12.282); a Lufthansa/Swiss (-15% ou de 13.552 para 11.468); Air France/KLM (-15,2% ou de 16.954 para 14.272); e Delta (-4,8% ou de 12.791 para 12.177) sofreram variações negativas.

Em faturamento, a TAM liderou em volume – R$ 134.926.772. Porém, recuou 4,1% em relação ao 3º trimestre de 2015, quando vendeu R$ 140.630.650. A American avançou 2,6%, evoluindo de R$ 103.374.635 para R$ 106.095.684. O faturamento da United cresceu 25,6% (de R$ 53.582.537 para R$ 67.313.127). E o da Lufthansa/Swiss recuou 23,5% (de R$ 82.265.292 para R$ 62.973.406. A Airfrance/KLM sofreu variação negativa de 23,4% (de R$ 80.104.709 para R$ 61.327.396), enquanto a Delta cresceu 9,1% (de R$ 50.004.450 para R$ 54.547.509). A TAP também registrou resultado positivo de 52% (de R$ 37.486.298 para R$ 39.432.935). A Avianca evoluiu 9,2% (de R$ 29.590.830 para R$ 32.304.592) e a Copa aumentou o faturamento em 16,1% (de R$ 30.180.842 para 35.046.130). 
Segmento Hotelaria Nacional
A rede BHG/Solare destacou-se na venda de room-nights e faturamento, na comparação com o 3º trimestre de 2015. Evoluiu de 53.260 para 76.396 diárias vendidas, com crescimento de 43,4%. No faturamento, saltou de R$ 13.681.756 para R$ 18.202.860 ou 33,0% de variação positiva. A Blue Tree Hotels cresceu de 53.322 para 61.831 diárias vendidas (16,0%), enquanto o faturamento aumentou de R$ 15.222.871 para R$ 15.809.770 (3,9%). A venda de room-nights do Meliá oscilou de 28.312 para 31.565 (11,5%); e o faturamento foi de R$ 9.756.936 para 10.457.500 (7,2%).
As demais companhias hoteleiras registraram resultados descendentes. O Windsor recuou de 41.025 para 29.287 em vendas de diárias (-28,6%) e de R$ 17.116.063 para R$ 11.786.520 (-31,1%) em faturamento. O Bourbon decresceu de 28.652 para 20.324 diárias vendidas (-29,1%) e de R$ 9.086.228 para R$ 6.098.015 (-32,9%) em faturamento. Vale registrar o desempenho do agrupamento ‘Independentes’, que representa 35,9% do market-share. O recuo nas vendas de room-nights se deu de 1.167.750 para 1.032.719 (-11,6%) e no montante de vendas caiu de R$ 214.829.656 para R$ 179.610.271 (-16,4%). A tarifa média da hotelaria nacional foi reduzida em 4%, ficando em R$ 212,00. 

Outros segmentos
Na locação de veículos nacional, destaque para o desempenho da Movida, que evoluiu de 103.419 para 127.805 diárias (23,6%) e de R$ 7.753.948 para R$ 9.628.013 (24,2%) no faturamento. O valor médio da diária caiu 4,4%, ficando em R$ 94. Na locação internacional, o faturamento da Hertz oscilou de R$ 5.073.878 para R$ 3.567.303 (-29,7%), enquanto que o da Localiza diminuiu de R$ 94.994 para R$ 61.902 (-34,8%).

Em termos de meios de pagamento, o cartão de crédito liderou no segmento aéreo (75%), contra 25% de venda faturada. Dos 75% referentes à modalidade, 32% ficaram com a American Express. Visa (15%), MasterCard (14%) e Outros (14%). Na hotelaria e outros serviços, os cartões de crédito aparecem com 52%, contra 48% das vendas faturadas. ‘Outros cartões’ lidera com 25%, seguido do MasterCard (16%).

No cômputo geral, vale destacar a performance positiva do segmento de eventos corporativos, que evoluiu de R$ 146.112.011 para R$ 151.309.604 – variação positiva de 3,6% no 3º trimestre de 2016, na comparação com igual período de 2015.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Gostou? Faça o seu comentário.